Genética Molecular Forense

O Laboratório de Genética Molecular Forense do Instituto de Criminalística do Paraná, criado pelo Termo de Cooperação Técnico-Financeira n° 36/00, firmado entre a Secretaria da Justiça, o Instituto de Ação Social do Paraná, o Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente e a Secretaria da Segurança Pública, com a Interveniência do Instituto de Criminalística, foi inaugurado em 25 abril de 2002, sendo um dos pioneiros na implementação de análises de vínculo genético em identificação humana em instituições de perícia oficial no Brasil.

Dotado de estrutura física adequada, equipamentos avançados e profissionais com formação pós universitária (especialização, mestrado ou doutorado), realiza, desde então, análises de identificação genética nas seguintes situações: exames de paternidade decorrente de ação criminosa, análise de perfis genéticos de vestígios biológicos coletados em local de crime ou de vítimas de crimes sexuais, além de identificação de ossadas e restos mortais.

O Laboratório de Genética Molecular Forense participa da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos, através de Acordo de Cooperação Técnica, firmado em julho de 2009, entre o Estado do Paraná e o Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional de Segurança Pública e do Departamento da Polícia Federal. O referido acordo permite o licenciamento para uso do programa CODIS (Combined DNA Index Systems), desenvolvido e cedido pelo FBI (Federal Bureau of Investigation), viabilizando a alimentação, gerenciamento e comparação, em nível estadual e nacional, de bancos de perfis genéticos gerados por instituições de perícia oficial no Brasil.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
Recomendar esta página via e-mail: